Teresina (PI) inova com a utilização da tecnologia Blockchain no transporte público

A capital do estado do Piauí, Teresina, vai implantar a tecnologia Blockchain para a gestão do transporte público.

A proposta faz parte do projeto Observatório da Mobilidade, que vai utilizar o sistema para armazenar os dados relativos ao transporte público, de forma mais segura.

O blockchain, como o próprio nome diz, é uma cadeia de dados, que funciona como um grande “livro de registros”. Ele vai colaborar com a otimização da prestação de serviços, tornar público os dados do sistema de transporte e aproximar a sociedade para os processos de tomada de decisão na gestão pública, tornando a comunicação mais transparente e direta.

A iniciativa é inédita e vai ser financiada pelo Fundo Europeu para o Clima, com o aporte de 300 mil Euros.

O novo sistema vai ajudar a transformar a capital piauiense em cidade inteligente e trará para o município o aumento da confiabilidade do sistema de transporte, melhora do serviço, aumento da eficiência, além da priorização de que o transporte público tenha impacto na redução da emissão de gases de efeito estufa.

Blockchain

Blockchain ou “protocolo de confiança” tem sua descentralização e registro de transação permanente como medida de segurança.

Seus registros são realizados de maneira individual ou em blocos. Esta cadeia de blocos, pode ser considerada – e é por muitos – a maior revolução tecnológica dos últimos tempos.

De acordo com especialistas, seu poder de criptografia e capacidade de armazenamento de dados é inviolável, por esta razão é escolhida para ser usada com as criptomoedas. Além disso, a tecnologia pode funcionar como alternativa à funcionalidades, como negócios financeiros, liquidações e transações bancárias, banco de dados para bibliotecas e organizações, transparência de operações de qualquer espécie, e até processos eleitorais.



Deixe uma resposta